Feeds:
Posts
Comentários
LUIGI BECHI - Lendo notícias no estúdio do artista - Óleo sobre tela - 143 x 103

LUIGI BECHI - Lendo notícias no estúdio do artista

Texto de Ida Della Monica

A vida agitada, principalmente nos grandes centros urbanos, gerou mudanças significativas na estrutura familiar. Homens e mulheres são juntos, isolada ou alternadamente, “chefes de família”, assumindo, cada um, funções de pai e mãe. Progresso!

Entretanto, a concorrência por espaços ocupacionais, as exigências impostas pelo mercado de trabalho e a preocupação em suprir as necessidades básicas do lar, resultam na falta de tempo para atividades fundamentais na vida familiar. Muitos pais precisam delegar a educação de seus filhos aos avós, aos parentes, à escola, à empregada doméstica e também aos amigos, ou seja, a educação passa a ser função de todos.

E se é assim que a vida está, então é a sociedade que precisa suprir o espaço vazio e se envolver…

Continuar Lendo »

A Pátria -  Pedro Bruno - 1819

Pedro Bruno (1888-1949 ) - A Pátria - 1819

 

Num país onde a educação de qualidade é privilégio de uns poucos e a indiferença de muitos, o povo não passa de massa de manobra.

S. Quimas

 

Constantemente se bate na mesma tecla até a exaustão dos ânimos, até que a dor se torna tão contumaz que não se tem mais forças para a luta, ou a indiferença acerca do destino leve o ânimo, tornando impossível a reação.

O terrorismo praticado pelas autoridades, a quem competiria ser viabilizador de meios para que a educação fosse respeitada como direito legítimo de todos que lhes delegam o poder de administrar a coisa pública, acaba por frustrar toda e qualquer esperança de que se possa realmente produzir mudanças significativas, que de fato agreguem valor, tornando viável um ensino de qualidade, que capacite a quem aprende a se desenvolver de modo integral.

Continuar Lendo »

S. Quimas - Menino Índio - Pastel

S. Quimas - Menino Índio - Pastel

Durante toda a minha vida — e quando falo isso não minto, pois aos sete anos de idade após ver as cenas terríveis da devastação feita pela bomba atômica em Hiroxima e Nagasaki, no fim da Segunda Guerra Mundial e ter passado a noite em prantos, desolado com as imagens dessa abominação — tenho a ideologia da paz como minha constante meditação e tenho buscado através do Movimento Mundial Armas da Paz conscientizar às pessoas da urgência e absoluta necessidade de revermos pontos de vistas e tentarmos firmemente solucionar as causas que levam o mundo a esse estado de constante litígio e desordem social.

Algo que observo, e que também fica claro para muitos, é que os meios de comunicação em nada têm ajudado, ou talvez muito pouco, a trazer soluções, ou a fidelizar seu público no sentido de cultivar uma identidade pacifista, no mais imbecilizam a esse público e o transforma não em pacifista, mas em um grupo de indivíduos impotentes e toldados pela depressão causada por um amontoado de notícias onde só vigora o mal, a injustiça e o desespero.

Continuar Lendo »

Collinson James - A lição de escrita - 1855 - Óleo sobre painel

Collinson James - A lição de escrita - 1855 - Óleo sobre painel

É essencial ao educador que se envolva de fato no processo educativo e investigue as causas que levam seus alunos ao desinteresse por suas aulas. Não é somente a questão de mea culpa, pois pode ser que as causas partam do próprio aluno, ou estejam repousadas em questões que nada tenham a ver diretamente com o professor ou com o aluno, mas devido ao próprio conteúdo, que não fornece elementos muito estimulantes ao aprendizado.

Identificar as origens do desestímulo que culmina em desatenção e não assimilação dos conteúdos é essencial ao bom resultado das aulas. Sem esse conhecimento, fica muito difícil solucionar qualquer problema, o que pode ter consequências danosas a todo o aprendizado. O trabalho do professor, não é apenas o de ministrar aulas, mas o de propiciar o desenvolvimento pleno do aluno enquanto educador que é.

Continuar Lendo »

Édipo e a Esfinge - Jean Auguste Dominique Ingres (1780-1867) - Óleo sobre tela - c. 1808 - Museu do Louvre (Paris, França)

Édipo e a Esfinge - Jean Auguste Dominique Ingres (1780-1867) - Óleo sobre tela - c. 1808 - Museu do Louvre (Paris, França)

Uma das grandes queixas de educadores e alunos é a falta de motivação para aprender. Muitas vezes o aluno vai à escola somente por ser obrigado pelos pais, que veem a necessidade do estudo para seus filhos, pois a vida é cada vez mais exigente quanto ao nível de formação de quem ingressa no mercado de trabalho. Contudo, o que se observa é que desejar aprender não é um gesto espontâneo, não parte de uma iniciativa individual do educando.

As salas de aula estão abarrotadas de estudantes e educadores desestimulados, que meramente cumprem o horário e se retiram sem trocarem entre si nada que seja de fato proveitoso, que realmente expresse o que se propõe na palavra educar.

Continuar Lendo »

Por uma educação humanizada e criativaEstamos vivendo tempos em que o homem se resume a uma estatística e só é valorizado pela riqueza que gera e pelo seu poder de consumo. A nossa luta é resgatar através da educação os principais valores humanistas: a liberdade, a criatividade e a benevolência, como características inexoráveis e inalienáveis ao indivíduo superior.

Somente através de uma educação generalizada com base nesses valores, moldada por ações conscientes em prol do bem comum e com foco no pleno desenvolvimento de cada um e no respeito aos outros seres e à natureza como um todo, transcenderemos esse estágio de brutal servidão à inconsciência do verdadeiro papel do ser humano no mundo: ser zelador do planeta que habitamos e motivador do aperfeiçoamento de todos os processos que levem à implantação de uma civilização superior, realmente digna desse nome.

Adote essa causa!

http://www.causes.com/causes/622918-por-uma-educa-o-humanizada-e-criativa

Jacob Taanmann - Quando o professor vira as costas - óleo sobre tela: 60 x 46 cm - Coleção particular

Jacob Taanmann
Quando o professor vira as costas
Óleo sobre tela: 60 x 46 cm
Coleção particular

Uma das questões mais críticas na educação de nossos dias no Brasil, senão de sempre, é a dignificação do professor e o respeito ao seu papel fundamental como coconstrutor da nação. À nação entenda-se não somente a circunscrição geopolítica, mas o grupo humano que partilha a mesma cultura e os mesmos ideais e que vive em terras brasileiras.

Temos percebido, que apesar das afirmações feitas em contrário pelo material publicitário e depoimentos dos agentes governamentais, que o educador tem sido preterido entre os profissionais que atuam nas diversas áreas econômicas, como se alguém pudesse aprender sem ter quem o oriente. Até possa ser, mas são raríssimas exceções à regra.

Mensalmente, os profissionais de educação são “punidos” por uma remuneração ínfima, muito aquém da sua importância fundamental para o desenvolvimento do país. Isso já bastaria para condenar a atitude de alienação dos governos frente à relevância do serviço que é prestado em salas de aula no país inteiro.

Continuar Lendo »